O atual presidente do BES, Ricardo Salgado, que deverá ser substituído na liderança da instituição

por Amílcar Morais Pires, deverá vir a presidir um novo órgão do banco, o conselho estratégico, que contará também com José Maria Ricciardi, entre outros.

Ricardo Salgado: o banqueiro há mais tempo no ativo

Esta é uma das propostas que o maior acionista do Banco Espírito Santo (BES), o Espírito Santo Financial Group (ESFG), que conta com 25,1% do capital social, vai submeter à aprovação dos acionistas numa assembleia-geral extraordinária agendada para 31 de julho.

Na reunião magna será decidida uma alteração dos estatutos do BES, «de modo a criar um novo órgão estatutário, denominado conselho estratégico, destinado a assistir o conselho de administração na definição da estratégia societária», lê-se num comunicado hoje enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

A ESFG propõe que, para o novo órgão, sejam eleitos Ricardo Salgado, como presidente, José Manuel Espírito Santo Silva, José Maria Ricciardi, Ricardo Abecassis e Pedro Mosqueiro do Amaral. Todos estes responsáveis integram atualmente o conselho de administração do BES e vão manter-se em funções até à data da assembleia geral.

A 'holding' para a área financeira do Grupo Espírito Santo (GES) propõe também aos acionistas a eleição para o conselho estratégico de Patrick Monteiro de Barros, «ao qual poderão acrescer outros membros que venham a ser propostos por acionistas de referência», segundo o comunicado disponibilizado no supervisor do mercado.

Mais, a ESFG propõe a designação de Isabel Bernardino e Ana Rita Barosa para desempenharem cargos de administradoras executivas.

Ainda assim, a maior mudança prende-se ao nível da comissão executiva, que deixará de ser liderada pelo histórico Ricardo Salgado e passará, caso os acionistas deem luz verde à proposta da ESFG, a ser comandada por Amílcar Morais Pires.