A Cofina teve lucros de 865 mil euros no primeiro trimestre, três vezes mais do que os registados o ano passado no mesmo período, disse hoje o grupo de comunicação social em comunicado ao mercado.

Segundo a nota à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o crescimento dos lucros deveu-se à «melhoria do ambiente macroeconómico» e à «contribuição do [canal] CMTV, a nova aposta do grupo».

O EBITDA (resultado antes de juros, impostos, amortizações e depreciações) subiu 10% para 3,2 milhões de euros entre janeiro e março, com a margem EBITDA a atingir os 13,2%, o que segundo a empresa que detém Correio da Manhã, CMTV, Record, Jornal de Negócios e revista Sábado se deve à «política criteriosa na gestão de custos levada a cabo pela empresa que foi decisiva para incrementar as margens de rentabilidade, com os custos operacionais, excluindo amortizações, a reduzirem-se 4% neste período» para 20,9 milhões de euros.

Apesar da melhoria de resultados, entre janeiro e março, as receitas totais da Cofina caíram 2,1% para 24 milhões de euros, com uma quebra homóloga de 7,9% na publicidade e 6,3% na circulação.

Já em abril, sublinha o comunicado, houve uma inversão na tendência de queda das receitas de publicidade com estas a melhoraram 7%.

A empresa destaca ainda o aumento das receitas do segmento de jornais em 0,5% para 19,5 milhões de euros, dos produtos de marketing alternativo em 36,4% para os 3,7 milhões de euros, e o contributo de 1,5 milhões de euros da CMTV.

Já no segmento de revistas as receitas caíram 11,7% para 4,6 milhões de euros.

Também hoje, a Cofina anunciou que a partir de 22 de março estão a pagamento os dividendos relativos a 2013, de 0,01 euros (1 cêntimo) por ação, sendo que, a partir de 19 de maio, as ações da empresa começam a transacionar em bolsa «sem conferirem o direito ao referido dividendo».

O grupo teve, o ano passado, lucros de 4,7 milhões de euros, mais 17,4% do que em 2012.