O vice-presidente da HP para a área cloud na Europa disse à Lusa que o novo centro de dados da PT «é uma grande oportunidade para o país» e que está em conversações com o grupo português.

«É uma grande oportunidade para o país e para nós também», afirmou Xavier Beauchamps, vice-presidente da HP para a área cloud na região EMEA - Europa, Médio Oriente e África.

«Temos estado em conversações com a Portugal Telecom [PT]» sobre o tema, acrescentou, não entrando em detalhes.

«Acredito que é uma grande oportunidade para esta empresa criar capacidade de cloud [armazenamento da informação que está acessível em qualquer parte do mundo] para Portugal», sublinhou Xavier Beauchamps.

A HP EMEA está a criar uma rede de fornecimento de serviços cloud para cada país onde está presente e está disponível para ter parcerias neste âmbito.

Questionado sobre se as conversações com a PT poderão culminar numa parceria, Xavier Beauchamps foi perentório: «Sim», adiantando que pode ser uma oportunidade para a empresa tecnológica.

«Queremos ter parcerias para construir capacidade para cada país se adaptar» no âmbito do cloud computing.

A aposta nos serviços de armazenamento de informação ( cloud) é um dos pilares da estratégia da HP, que avançou nesta área há cerca de cinco anos.

«Fiz parte da equipa inicial e acreditamos absolutamente que [o cloud computing] será uma grande transformação para as tecnologias de informação», sublinhou.

No mercado português, «acreditamos que há uma grande oportunidade para o negócio, por diferentes razões», entre as quais porque «há empresas que estão a fazer negócios internacionais».

Outra das razões é que os bancos e as empresas de telecomunicações irão avançar para a cloud porque «isso dará agilidade, reduzirá os custos e permitirá criar negócios».

Por isso, Xavier Beauchamps acredita que Portugal irá beneficiar deste serviço.

«Acredito que o cloud computing pode trazer às pequenas e médias empresas a capacidade de usar as tecnologias de informação a um preço mais acessível», acrescentou.

«Portugal é um país onde iremos ver o negócio crescer», disse, acrescentando que as reuniões que têm tido com várias entidades no mercado português, quer públicas quer privadas, demonstram o interesse nesta área.