O grupo chinês Beijing Capital estará prestes a desistir da privatização da Empresa Geral de Fomento, apurou o Diário Económico. Os representantes do grupo não compareceram às últimas reuniões com os representantes do Estado no processo de privatização, sendo pouco provável que avancem com uma proposta vinculativa até ao final do mês.

Se a desistência se efetivar, será a 3ª de grupos chineses na privatização da EGF, após a saída da Beijing Water e da Sound Global.

As diversas ações colocadas em tribunal pelas autarquias, para travar o processo de alienação, tem estado na base das desistências.

Na corrida continuam as propostas do consórcio Portugal Ambiental, da Egeo, em conjunto com o fundo Antin Infraestructure Partners, e as empresas DST e Suma.

Vários concorrentes solicitaram o adiamento dos prazos de entrega das propostas vinculativas, alegando dificuldades de financiamento.