O Banco de Portugal recomendou à família Espírito Santo que optasse por um jurista independente para o lugar de presidente não executivo do BES, no âmbito do processo de renovação do conselho de administração do banco, revela o Jornal de Negócios. Foi com esta preocupação em mente que o Espírito Santo Financial Group convidou Paulo Mota Pinto para chairman da instituição.

O objetivo do supervisor será reforçar o peso dos administradores independentes e com funções de fiscalização da equipa de gestão com profissionais que tenham formação jurídica. Atualmente a maioria dos administradores não executivos do BES é licenciada em Economia ou Gestão.

Além de Mota Pinto, o ESFG propôs a promoção de Amílcar Morais Pires a líder executivo do BES e Rita Barosa e Isabel Almeida para a equipa de gestão. Todos os nomes terão de ser aprovados em assembleia geral de acionistas, marcada para 31 de julho.