O Barclays investiu 23 milhões de euros para avançar com o seu novo posicionamento no mercado português, focado no segmento afluente, revelou à Lusa fonte oficial do banco, sem adiantar qual o montante gasto no redimensionamento da rede.

No bolo dos 23 milhões de euros estão contabilizados os investimentos feitos pelo Barclays em tecnologia, em marketing e na formação e certificação dos gestores premier, isto é, especializados no segmento afluente, onde se incluem clientes com ativos financeiros acima de 100 mil euros ou rendimentos mensais superiores a 5 mil euros.

O Barclays gastou ainda vários milhões de euros na redução da sua operação em Portugal, quer no fecho de agências, quer no programa de rescisões de trabalhadores. Questionada pela Lusa, fonte oficial do banco escusou-se a especificar quais os valores em causa, mas fontes do setor apontam para que tenham sido vários milhões de euros, dada a dimensão da redução da capacidade instalada do banco.

Atualmente, o Barclays Portugal conta com 30 mil clientes afluentes, mas o objetivo é duplicar esse número a médio prazo.

«Até 2015 queremos ter neste segmento metade do total de 30 mil clientes que pretendemos captar, ou seja, mais 15 mil clientes», especificou o responsável, acrescentando que «a grande maioria serão atuais clientes, mas que não têm atualmente o Barclays como o seu primeiro banco».

No âmbito do investimento feito para atingir tal objetivo, o Barclays lançou uma nova campanha publicitária, ao mesmo tempo que desenvolveu uma nova página na Internet, novas ferramentas ao nível do mobile banking e novas soluções tecnológicas que vão ao encontro das necessidades dos clientes afluentes.