Os acionistas da Portugal Telecom (PT) aprovaram esta segunda-feira os novos termos da fusão com a operadora brasileira Oi.

A operação foi aprovada com mais de 98% dos votos e o Novo Banco votou a favor da fusão.

Foram precisas mais de quatro horas para Henrique Granadeiro explicar aos acionistas presentes o novo acordo de fusão, que prevê que a PT fique com 25% da Oi.

Este acordo diminui a posição da PT na nova empresa de 39% para 25%, na sequência do empréstimo de 900 milhões de euros ao Grupo Espírito Santo, que entretanto entrou em incumprimento.

A reunião foi muito tensa, com os pequenos acionistas a mostrarem o desagrado com a perda de valor da PT.

No final da reunião, Henrique Granadeiro recusou-se a comentar as perguntas dos jornalistas. «A decisão foi tomada. Não há mais nenhuma declaração a fazer», disse.

Tudo o que aconteceu na reunião magna

PT/Oi: Granadeiro enfrenta desagrado dos acionistas na AG

PT/Oi: Ongoing diz que novo acordo «é a única solução possível»

PT: Rafael Mora admite «raiva» com aplicação na Rioforte

Bolsa de Lisboa fecha em queda com holofotes virados para a PT