A REN - Redes Energéticas Nacionais anunciou que reuniu as aprovações regulatórias exigidas para a aquisição da totalidade da EDP Gás. Está em causa um investimento de 532,4 milhões de euros. Com esta luz verde, o negócio será concluído, ao que tudo indica, nos próximos 15 dias.

Em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a empresa liderada por Rodrigo Costa informou que "se encontram verificadas as condições suspensivas (incluindo as aprovações regulatórias necessárias) para o efeito da aquisição pela subsidiária da REN, REN Gás, S.A., da totalidade do capital social da EDP Gás, S.G.P.S., S.A. e das suas subsidiárias [...]".

Nos termos acordados pelas partes, é expectável que a referida transação seja concretizada no prazo de aproximadamente 15 dias".

A EDP Gás detém a segunda maior rede de distribuição de gás natural em Portugal, na região litoral norte de Portugal, abastecendo 29 concelhos dos distritos de Porto, Braga e Viana do Castelo, com uma rede de 4.460 quilómetros.

Recorde-se que, para financiar este investimento, o Conselho de Administração da REN decidiu recorrer a linhas de crédito e a um aumento do capital social da empresa em 250 milhões de euros.

A REN fechou a sessão desta quinta-feira, em bolsa, a desvalorizar 0,65% para 2,748 euros. Já a EDP caiu 0,86% para 3,225 euros por título. A reação ao comunicado enviado à CMVM poderá ser observada na sessão de amanhã, sexta-feira.