A Grécia conseguiu em 2013 um excedente primário (sem encargos com a dívida) de 1,5 mil milhões de euros, anunciou hoje o vice-ministro das Finanças, Christos Staïkouras.

A Comissão Europeia confirmou esta informação minutos mais tarde, apontando um «excedente primário que corresponde a 0,8% do Produto Interno Bruto (PIB)» constatado pelo Eurostat.

«Passaram exatamente quatro anos desde o recurso do país ao mecanismo de resgate», disse o ministro numa conferência de imprensa.«A Grécia conseguiu agora ter um excedente primário mais cedo do que se previa», continuou, acrescentando que «foram reconhecidos os esforços do Governo e os sacrifícios do povo grego».

A informação sobre o excedente primário de 1,5 mil milhões de euros, que chega aos 3,4 mil milhões se for excluída a ajuda financeira aos bancos, segundo Staïkouras, permite a Atenas ponderar a abertura de negociações sobre a sua dívida pública, que ascende a 175,1% do PIB em 2013, segundo os números do gabinete oficial de estatísticas da União Europeia.

O Eurostat indicou que o défice público grego atingiu no ano passado 23,1 mil milhões de euros, ou seja, 12,7% do PIB.