O ministro da Segurança Social, Pedro Mota Soares, anunciou esta terça-feira que o programa de apoio ao emprego Garantia Jovem estará a funcionar no início de 2014 e apontou-o como «crucial» para garantir mais oportunidades de trabalho.

«Já conseguimos garantir a aplicação deste programa para jovens até aos 30 anos de idade, essa é uma novidade muito importante no nosso caso, e neste momento está a ser discutido se é possível conseguir financiamento acrescido por isso mesmo», adiantou o governante, após uma reunião no Luxemburgo com o comissário europeu do Emprego, Lázló Andor.

Pedro Mota Soares referiu, citado pela Lusa, que os dados mais recentes sobre o desemprego são animadores, mas reconheceu que é preciso «continuar a trabalhar muito» para combater as elevadas taxas de desemprego em Portugal.

«A expectativa que tínhamos em matéria de desemprego é menor do que tínhamos inicialmente, mas isto não faz o Governo baixar os braços», assegurou.

Mota Soares referiu que os anteriores programas, Impulso Jovem 2012 e 2013, foram «reformulados para chegar a muito mais jovens» e que alcançaram no total apoios a cerca de 60 mil pessoas.

«É fundamental, conjuntamente com os parceiros sociais, podermos executar o mais rapidamente possível este programa [Garantia Jovem], de forma darmos a muitos jovens uma primeira oportunidade», acrescentou.

A garantia jovem é uma iniciativa que pretende assegurar que os jovens até aos 25 anos que estão desempregados há quatro meses tenham acesso a um trabalho, a um estágio ou a um programa de formação.

No Conselho Europeu de junho, os líderes europeus acordaram antecipar para 2014 e 2015 a disponibilização da verba de seis mil milhões de euros, destinada à Garantia Jovem, inicialmente prevista para o período 2014-2020.