A agência de notação financeira Moody’s cortou esta quarta-feira a nota da dívida pública grega para Caa3, o que agravou o seu posicionamento em terreno especulativo.

A redução da nota em um escalão foi justificada com o argumento de agora é menos provável que os credores oficiais apoiem o país, independentemente do que aconteça no referendo de domingo.

Esta notação coloca o ‘rating’ da Grécia em apenas dois graus acima do estado de falência e ocorre depois do fim do programa de assistência financeira da União Europeia à Grécia, sem substituto, na terça-feira, e do não reembolso pela Grécia de um empréstimo do Fundo Monetário Internacional.

Esta quarta-feira, o Eurogrupo decidiu colocar as negociações em "stand-by" até serem conhecidos os resultados do referendo grego de domingo por considerar que "não há fundamentos para continuar a negociar". 

Já o ministro das Finanças grego, Yannis Varoufakis,  admitiu que só na segunda-feira, depois de serem conhecidos os resultados do referendo de domingo, vai ser possível a Grécia voltar a lutar por um acordo com a Europa.