A ministra da Presidência, Maria Manuel Leitão Marques, escusou-se esta quinta-feira a comentar as declarações do economista João Salgueiro sobre a hipótese de haver mais três bancos a necessitar de resgate financeiro.

Questionada na conferência de imprensa que se seguiu à reunião semanal do Conselho de Ministros sobre o que disse antigo ministro das Finanças em entrevista à Antena 1, Maria Manuel Leitão Marques lembrou que o ‘briefing' para a comunicação social serve para dar esclarecimentos sobre o que foi discutido no Conselho de Ministros.

"As declarações do doutor João Salgueiro não foram discutidas no Conselho de Ministro", acrescentou.

Numa entrevista à Antena 1, João Salgueiro advertiu que pode haver "mais três bancos na linha para serem resgatados".

"Pode haver o caso do BCP, da Caixa [Geral de Depósitos] e de um banco mais modesto, que pode ficar caríssimo também" para os contribuintes, diz o ex-governador do Banco de Portugal e antigo administrador da CGD e da Associação Portuguesa de Bancos.

A ministra da Presidência foi ainda interrogada sobre moção conjunta que as principais tendências do Bloco de Esquerda levam à próxima Convenção, que refere que sem uma nova estratégia, "não é possível" sustentar o "compromisso de recuperação de rendimentos em que assenta a maioria parlamentar", mas voltou a não responder.

"A orientação do Governo está consolidada e a proposta do Bloco de Esquerda para o seu congresso ou convenção, não esteve na agenda do Conselho de Ministros", afirmou.