O presidente da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) disse esta quarta-feira que as relações económicas com a Guiné Equatorial vão ser intensificadas com a concretização da adesão à Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Miguel Frasquilho falava na capital angolana à margem de uma visita que está a promover no âmbito da Feira Internacional de Luanda (FILDA), onde estão representados mais de 100 empresas portuguesas.

«Temos mais um motivo para que as relações com este país africano [Guiné Equatorial] possam ser intensificadas, mais uma vez em parcerias de internacionalização, investimento, com reciprocidade e numa lógica win-win, em que todos possam vir a ganhar», disse o presidente da AICEP, questionado pela Lusa em Luanda.

A Guiné Equatorial, que pediu adesão ao bloco lusófono em 2010, entrou hoje na Comunidade de Países de Língua Portuguesa durante a décima conferência de chefes de Estado e de Governo da CPLP, que decorreu pela primeira vez na Ásia, no caso em Díli, Timor-Leste.

«Não há por enquanto nada de concreto, mas é evidente que com a entrada da Guiné Equatorial na CPLP vai haver certamente uma intensificação das relações entre os dois países», admitiu Miguel Frasquilho.

Sublinhando tratar-se de uma posição habitual quando «o assunto tem a ver com as empresas, com os empresários e com a ajuda à internacionalização», afirma que aquela agência estará «na linha da frente do auxílio às empresas portuguesas e à constituição de parcerias entre os dois países».

«Mas trata-se de continuar a prática que é habitual na AICEP e é para isso que ela existe», reforçou Miguel Frasquilho.

Além de Angola e Moçambique, o responsável acrescentou que África do Sul é outra das apostas na internacionalização das empresas portuguesas no continente africano, bem como na Guiné Equatorial.

«Mas há mercados que estão a emergir nas zonas de rápido crescimento mundial, nomeadamente na América Latina, nos países da costa sul do Pacífico, e na Ásia», disse ainda.

Países como Peru, Colômbia, México, China, Coreia do Sul, Indonésia e Japão são, de acordo com Miguel Frasquilho, prioridades na promoção internacional da AICEP.