A Portugal Telecom (PT) esclareceu esta que subscreveu, através de duas subsidiárias, um total de 897 milhões de euros em papel comercial da Rioforte, empresa do Grupo Espírito Santo, que vencem em meados de julho.

A 26 de junho, o Expresso Diário noticiou que a PT detinha 900 milhões de euros de papel comercial da Rioforte e que a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) estaria a preparar-se para analisar o caso, para averiguar se existia favorecimento acionista, uma vez que o Grupo Espírito Santo (GES) detém 10,05% da operadora de telecomunicações.

Em comunicado enviado hoje à CMVM, assinado pelo presidente do Conselho de Administração e executivo, Henrique Granadeiro, e pelo administrador financeiro executivo, Luís Pacheco de Melo, a PT esclarece que «subscreveu, através das então subsidiárias PT International Financee BV e PT Portugal SGPS, um total de 897 milhões de euros em papel comercial da Rioforte com uma remuneração média anual de 3,6%».

A empresa adianta que «todas as aplicações de tesouraria em papel comercial da Rioforte atualmente em carteira têm vencimento em 15 e 17 de julho de 2012 (847 e 50 milhões de euros, respetivamente)».

A PT sublinha que as operações de tesouraria «são realizadas num contexto de análise de várias opções de investimento de curto prazo disponíveis no mercado, tendo como referência a atratividade da remuneração oferecida, e têm acompanhamento e são sufragadas pela Comissão Executiva».

A subscrição do papel comercial da Rioforte «tem presente a boa experiência de 14 anos em aplicações de tesouraria no Banco Espírito Santo (BES) e em entidades do GES, no contexto da parceria estratégica celebrada em abril de 2000 entre as partes», adianta.

A PT lembra que a parceria estratégica incluía a troca de participações entre as duas empresas, bem como a definição da PT enquanto fornecedora preferencial de telecomunicações do BES e a definição deste como fornecedor preferencial de serviços financeiros à operadora.

«A esta data, o montante total de aplicações em papel comercial do GES ascende a 897 milhões de euros, relativo ao investimento em papel comercial da Rioforte», acrescenta.

A operadora aponta que desde 28 de abril deste ano que «não foram realizadas quaisquer aplicações e/ou renovações deste tipo de investimentos. Adicionalmente, nesta data a PT International Finance BV e a PT Portugal SGPS mantêm depósitos bancários junto do BES num total de 22 milhões de euros e a Portugal Telecom SGPS depósitos bancários de 106 milhões de euros».

Segundo a empresa, «os valores acima representam a totalidade da exposição ao GES/BES».