O principal índice da bolsa de Lisboa, o PSI20, seguia esta quinta-feira a cair mais de 4%, com as ações do BES a perderem 12%, depois da decisão do Espírito Santo Financial Group (ESFG) de suspender a negociação das suas ações.

O PSI20 seguia a recuar 4,45% para 6.166,99 pontos, com 19 títulos negativos e apenas um positivo (a REN que sobe 0,27% para 2,57 euros).

As ações do Banco Espírito Santo (BES) seguiam a liderar as perdas, a afundarem 12,03% para 0,54 euros. As ações do ESFG negociaram pela última vez às 09:02, altura em que seguiam a perder 8,9% para 1,19 euros.

Na restante banca, o BCP seguia a perder 4,62% para 0,10 euros, seguido do BPI e do Banif, com desvalorizações de 4,47% e 4,21% para 1,35 e 0,01 euros.

Já a Portugal Telecom (PT) perdia 2,80% para 1,94 euros.

Lisboa seguia a acompanhar a tendência das principais praças europeias que abriram hoje em baixa, apesar das 'boas notícias' da Reserva Federal dos Estados Unidos (Fed) e relativas às exportações da China em junho.

A agência de ¿rating¿ Moody¿s baixou na quarta-feira em três níveis nota do Espírito Santo Financial Group (ESFG), o maior acionista do BES, de B2 para Caa2.

A Moody¿s justifica o corte de ¿rating¿, que já estava fora da escala de investimento ('lixo'), com a subida do risco de crédito do ESFG face às empresas Espírito Santo International e Rioforte, que não são avaliadas pela agência.

O BES divulgou também na quarta-feira a nova convocatória da assembleia-geral extraordinária do banco, que confirma Vítor Bento na presidência executiva, em vez de Morais Pires, que constava da anterior convocatória.

Também na quarta-feira, a convocatória divulgada, através da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), mantém a data da reunião magna de acionistas para 31 de julho, às 10:00, num hotel em Lisboa, sendo proposta aos acionistas a «ratificação das cooptações» de Vítor Bento e João Moreira Rato para membros do Conselho de Administração do BES para terminarem o mandato em curso, o que acontece em 2015.

Os acionistas vão também deliberar sobre a designação de Paulo Mota Pinto, deputado social-democrata e ex-juiz do Tribunal Constitucional, como presidente do Conselho de Administração ('chairman') e sobre a criação do novo Conselho Estratégico, bem como a eleição dos seus membros.

A anterior convocatória, divulgada a 20 de junho, referia Amílcar Morais Pires, atual administrador financeiro do BES, para presidente executivo do banco. Isabel Bernardino e Ana Rita Barosa eram apontadas para os cargos de administradoras executivas.