O PSI-20 encerrou a sessão a ganhar 2,5%, nos 7.369,86 pontos, arrastado pelo bom desempenho das praças europeias, que pode explicar-se com o facto de ter aliviado a pressão económica relativa ao conflito político entre a Rússia e a Ucrânia.

Recorde-se que o secretário de Estado dos Estados Unidos, John Kerry, chegou esta terça-feira a Kiev com um pacote de ajuda económica e técnica ao novo Governo ucraniano, um empréstimo de mil milhões de euros, que terá ainda de ser aprovado pelo Congresso, para aliviar o impacto dos cortes anunciados nos subsídios energéticos.

Entretanto a União Europeia vai ajudar a Ucrânia a regularizar a dívida de dois mil milhões de dólares (1,5 mil milhões de euros) devidos pela compra de gás russo, assegurou o comissário europeu da Energia.

O principal índice bolsista da Ucrânia subiu 9,5% esta terça-feira, enquanto o principal índice bolsista de Moscovo subiu 5,2%. Na Europa, Milão trepou 3,6%, Madrid e Paris subiram 2,5%, Frankfurt ganhou 2,4% e Londres subiu 1,7%.

Em Lisboa, todos os títulos encerraram no verde. No setor da banca, destaque para o BES, que trepou 5,2%, para 1,45 euros, o BPI ganhou 3,2%, fixando o preço de cada ação em 1,71 euros e o BCP avançou 2,9%, para os 0,19 euros.

Destaque ainda para a Zon Optimus, que trepou 3.2%, para os 5,75 euros. A EDP ganhou 2,4%, para os 3,18 euros, enquanto a PT subiu 2,3%, com cada ação a valer 3,24 euros.