A secretária de Estado do Tesouro, Isabel Castelo Branco, reiterou esta quarta-feira a determinação em Portugal ir aos mercados em 2014 para emitir dívida de médio e longo prazo, destacando a importância da troca de dívida de terça-feira.

«Portugal estará no mercado a partir de 2014 com emissões regulares de dívida de médio e longo prazo. A operação de ontem [terça-feira] tratou-se de um marco importante e renovou o interesse que existe tanto da parte de investidores portugueses como da parte de investidores internacionais», disse a governante no parlamento, num debate de atualidade sobre a dívida pública pedido pelo PCP.

O governo, sublinhou Isabel Castelo Branco, irá «nos próximos tempos» trabalhar ativamente nesse sentido.

A operação de troca de dívida pública de terça-feira, acrescentou ainda a governante, «não configura uma restruturação dos pagamentos devidos pelo Estado português», foi antes «uma operação sujeita às regras da oferta e procura de mercado».

Na operação conduzida na terça-feira, a Agência para a Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública - IGCP recomprou 837 milhões de euros da linha de obrigações que vencia em junho do próximo ano e 1,64 mil milhões de euros da dívida que vencia em outubro do próximo ano, num total de cerca de 2,5 mil milhões de euros.

Da linha de obrigações que vencia em outubro de 2015, foram recomprados 4,16 mil milhões de euros.

Em troca, o Governo colocou 2,68 mil milhões de euros na linha de obrigações que vence em outubro de 2017, e mais 3,97 mil milhões de euros na linha que vence em junho de 2018.