Portugal regressa esta quarta-feira ao mercado para uma emissão de dívida de longo prazo, realizando um leilão de Obrigações do Tesouro (OT) a 10 anos, com o qual pretende captar até 1.000 milhões de euros.

A Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) anunciou na semana passada que vai realizar às 10:30, um leilão de OT com maturidade em outubro de 2025, com um montante indicativo global entre 750 milhões de euros e 1.000 milhões de euros.

Esta será a primeira vez que a agência liderada por Cristina Casalinho realiza um leilão de longo prazo depois de a Assembleia da República ter chumbado o Programa de Governo do executivo liderado por Pedro Passos Coelho e será também a primeira realizada já depois da indigitação de António Costa como primeiro-ministro.

A 14 de outubro, data do último leilão a 10 anos, o IGCP emitiu 950 milhões de euros em OT a uma taxa de 2,3975%, superior à do leilão comparável anterior, de fevereiro (2,0411%).

Portugal espera arrecadar até 2.000 milhões de euros em OT e até 3.750 milhões de euros em Bilhetes do Tesouro (BT) até ao final do ano, totalizando 5.750 milhões de euros, segundo o programa de financiamento do último trimestre de 2015 divulgado pelo IGCP no início de outubro.