O Estado recomprou hoje cerca de 4,5 mil milhões de euros em Obrigações do Tesouro (OT) com amortização em 2017 e 2018 e vendeu cerca de quatro mil milhões de OT com vencimento em 2024 e 2030, foi anunciado.

Segundo a página da Agência de Gestão do Tesouro e da Dívida Pública (IGCP) na Bloomberg, o Estado voltou a comprar cerca de 2.358 milhões de euros em OT que venciam em outubro de 2017 e 2.179 milhões de euros em OT com maturidade em junho de 2018.

Por outro lado, o IGCP vendeu cerca de 3.125 milhões de euros em OT com vencimento em 15 de fevereiro de 2024 e 875 milhões em OT com maturidade em 15 de fevereiro de 2030.

Segundo o diretor da gestão de ativos do Banco Carregosa, Filipe Silva, «a República Portuguesa conseguiu 'rolar' 4 mil milhões de euros, o que é muito positivo».

«A troca de dívida de maturidade mais curta por maturidade mais longa foi feita a preços de mercado, mas permite ao estado ganhar tempo, estendendo os prazos de pagamento. Deste modo, em 2017 e 2018, anos em que teríamos que fazer grandes amortizações, já estaremos menos pressionados», disse Filipe Silva, citado pela Lusa.


Filipe Silva salientou ainda que «um dado interessante é que o país comprou mais do que vendeu, o que significa que amortizou mais do que o que emitiu», concluindo que pode-se «dizer que foi uma operação com sucesso».

«Esta operação demonstra que quem tem dívida portuguesa quer mantê-la em carteira. Os investidores revelam que mantêm interesse ao aceitarem trocar dívida que se venceria dentro de dois ou trÊs anos por dívida com prazos mais longos (2024 e 2030)», disse ainda o responsável do Banco Carregosa.