«A Companhia esclarece que, até a presente data, não recebeu qualquer proposta de alienação, com indicação de valores ou não, de suas atividades em Portugal e que não existe decisão visando à alienação de tais atividades, ou de seus ativos em Portugal», adianta a empresa em comunicado enviado ao mercado.

A empresa acrescenta que não sabe se efetivamente ocorreram reuniões entre a Altice e o Governo português, e também com os acionistas da brasileira, conforme foi noticiado pela comunicação social. Mas admite contactos, nomeadamente da Altice.

«A Companhia foi informada que o Banco BTG Pactual, assessor financeiro contratado como comissário para desenvolver alternativas viáveis de estruturas e de funding para propiciar uma participação da Companhia como protagonista na consolidação do setor de telecomunicações no Brasil, foi contatado por diversos interessados (dentre os quais a Altice) em obter informações selecionadas sobre os negócios da PT Portugal, principalmente sobre suas operações em Portugal, para que pudessem eventualmente formular propostas visando à aquisição de tais operações ou de parte de seus ativos não estratégicos», pode ler-se no comunicado.

Já na semana passada o grupo de telecomunicações tinha admitido que poderia vender ativos não estratégicos e participações em empresa controladas, mas que «até a presente data» não havia decisão sobre possível venda de ativos em Portugal.

A empresa afirmou ainda que «tampouco recebeu qualquer proposta para isso», sobre a eventual venda de ativos.