A Bolsa de Lisboa avança 0,57%, impulsionada pelos ganhos da telecom NOS, em linha com as bolsas europeias animadas com resultados fortes de algumas cotadas e atividade de fusões e aquisições nos sectores do imobiliário e do cimento.

De acordo com a Reuters, o Eurofirst 300, índice composto pelas 300 maiores cotadas europeias, ganha 0,28%.

As ações do grupo imobiliário britânico Quintain Estates disparam mais de 24 por cento depois da 'private equity' Lone Star ter feito uma oferta para comprar a empresa por cerca de 1.100 milhões de dólares.

No sector dos cimentos, a Italcimenti escala quase 50% após um bid pela alemã HeidelbergCement.

A francesa Peugeot dispara 4% após ter anunciado hoje que teve um lucro no primeiro semestre, pela primeira vez em quatro anos.

"Os resultados de empresas europeias têm sido razoavelmente tranquilizadores até agora, embora a China esteja a afetar alguns", disse John Plassard, trader sénior de vendas de equity da Mirabaud Securities.


A Schneider Electric caiu 1,9 por cento depois de rever em baixa as previsões para o ano inteiro, em consequência das quedas nos mercados chineses que despoletaram receios quanto à economia do país.

As ações da China estabilizaram hoje e registaram o maior ganho diário na última semana, depois de Beijing ter reafirmado a sua determinação para estabilizar os mercados do país.

"A possibilidade das ações recuperarem nos próximos meses é bastante elevada dada a grande liquidez no mercado,” disse Zhang Qi, analista da Haitong Securities.


Dos Estados Unidos, os investidores aguardam os resultados da reunião do Sistema da Reserva Federal (Fed) que termina hoje e poderá fornecer mais sinais sobre uma eventual subida das taxas de juro em Setembro.

O preço do barril de Brent, em Londres, cai 0,79% para 52,88 dólares e o de crude Nymex perde 0,69% para 47,65 dólares, pressionados por preocupações com o excesso de oferta global nos próximos meses.

O eurodeprecia-se 0,12% face à moeda norte-americana para os 1,1044 dólares.