O lucro da telecom NOS caiu 8% em termos homólogos para 23,2 milhões de euros (ME), penalizado por custos da fusão mas bateu as previsões dos analistas, com uma subida maior que o previsto das vendas.

As receitas operacionais da NOS cresceram 2% para 344,1 ME, enquanto o EBITDA contraiu 1,5% para 127,9 ME.

De acordo com a Reuters, estes dados batem as médias de um conjunto de analistas que previam, respetivamente, um lucro de 18,8 ME e vendas de 340 ME no primeiro trimestre de 2015.

Os analistas esperavam custos assinaláveis relacionados com a integração das estruturas da Zon e Optimus, assim como custos de marketing e comerciais relacionados com a fusão.

O CAPEX total atingiu 94,3 ME, "um valor bastante superior ao verificado no período homólogo devido ao plano de expansão de rede e à aceleração do investimento comercial", referiu a empresa.

A importante métrica da margem EBITDA caiu 1,3 pontos percentuais para 37,2 pct entre Janeiro e Março de 2015.

"Este resultado foi ainda afectado por efeitos não recorrentes derivados da fusão", afirmou a empresa, em comunicado.

"A NOS registou mais um trimestre de forte crescimento dos seus indicadores operacionais, facto que impulsionou ganhos de quota de mercado e o regresso ao crescimento das receitas", vincou.

A dívida financeira líquida fixou-se em 1.000 ME, ou seja, duas vezes o EBITDA.