O lucro dos CTT aumentou 23,3% no primeiro trimestre, face a igual período do ano passado, para 22,3 milhões de euros, anunciaram hoje os Correios de Portugal.

Nota a Lusa que, em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), os CTT adiantam que o resultado líquido consolidado registou uma "significativa variação positiva face ao período homólogo do ano anterior de 4,2 milhões de euros, traduzindo-se num resultado de 0,15 euros por ação e numa margem líquida sobre os rendimentos operacionais consolidados de 11,7%".

Os rendimentos operacionais subiram 8,4% para 191,2 milhões de euros, com as vendas e serviços prestados a crescerem 8,5% para 186,4 milhões de euros.

Os rendimentos de correio "confirmam a tendência e crescem 6,7% em resultado da desaceleração na queda no tráfego de correio endereçado para -1,6%, do aumento do preço médio do Serviço Postal Universal de 4,2% e do efeito cambial no correio internacional", adiantam os CTT.

No caso do Expresso e Encomendas, este registou "um crescimento dos rendimentos de 2,1% com crescimento de tráfego de 4,4%", enquanto os Serviços Financeiros "consolidam a oferta e posição de mercado e conseguem um forte crescimento dos rendimentos de 50,5% (em parte por forte antecipação de subscrições de poupanças em janeiro), reforçando esta alavanca como fundamental no crescimento global dos CTT", afirmam.

O resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações (EBITDA) cresceu 20,5% para 39,4 milhões de euros no trimestre.

Se for analisado o EBITDA recorrente, que exclui rendimentos e gastos não recorrentes e considera uma taxa de imposto sobre o rendimento, este aumentou 26,2% para 41,7 milhões de euros, "contribuindo o Correio com 62%, os Serviços Financeiros com 36% e o Expresso e Encomendas com 2%", adiantam os CTT.