Segunda sessão do ano, segunda subida da Bolsa de Lisboa, que segue a somar 0,63% para os 4.885,84 pontos, com apenas quatro cotadas no vermelho.

A impulsionar o índice está o setor da banca, com o BCP a trepar 4,7%, para os 007 euros, enquanto o BPI avança 1,2%, com cada ação a valer 1,06 euros.

Os investidores aguardam que o Banco Central Europeu decida já este mês o programa de quantitative easing, para estimular a economia, uma antecipação que está a fazer baixar o euro, que esta segunda-feira já cotou abaixo dos 1,20 dólares, em mínimos de nove anos.

Destaque também para a PT, que sobe 2,4%, para os 0,88 euros, neste que é o mês que os acionistas da cotada vão decidir se vendem a PT Portugal à Altice, numa assembleia magna marcada para 12 de janeiro.

Também a retalhista Jerónimo Martins avança 1,1%, com cada título a cotar a 8,33 euros.

No vermelho, destaque para o setor da energia, com a EDP a cair 0,1%, para os 3,26 euros. Também a Galp desliza 0,4%, nos 8,47 euros por ação, a acompanhar a descida dos preços do petróleo que votam a tocar mínimos de 2009.

A cotada que mais cai é a construtora Teixeira Duarte, que desliza 1,6%, para os 0,74 euros.

Na Europa, as principais praças não têm uma tendência definida de negociação, oscilando entre ganhos e perdas: Paris sobe 0,3% e Milão ganha 0,2%, enquanto Londres cai 0,2%, Frankfurt desce 0,5% e Madrid deprecia 0,7%.