O lucro atribuível da Jerónimo Martins teve uma subida homóloga de 12% para 103 milhões de euros no terceiro trimestre de 2015, ligeiramente mais do que previsto, suportado pelo forte crescimento das vendas e apesar da deflação alimentar.

"O Conselho de Administração vai solicitar a realização de uma reunião extraordinária da Assembleia Geral de Accionistas para aprovar o pagamento em 2015 de 236 milhões de euros de reservas livres," adiantou a cotada em comunicado.

A número dois do retalho nacional e líder do retalho alimentar na Polónia referiu que as vendas subiram 7,6% para 3.531 milhões  entre Julho e Setembro, em termos homólogos. O EBITDA cresceu 8,9% para 224 milhões.

Em relação à crucial margem EBITDA da unidade polaca Biedronka, a empresa avançou somente dados para os nove meses entre Janeiro e Setembro, fixando-se nos 6,9 pct, 10 pontos base abaixo da margem no período homólogo.

"Devido ao forte crescimento dos volumes e a execução rigorosa do plano, antecipa-se que (em 2015) a margem EBITDA da Biedronka esteja acima do nível mínimo estabelecido de 6,5% das vendas," frisou a empresa em comunicado.