O PSI20 fechou, esta quinta-feira a perder 0,29% para 6.764,94 pontos, em contraciclo com a maioria das praças europeias, com a Jerónimo Martins e a Galp a liderarem as perdas da sessão.

Entre as 20 cotadas que compõem o índice de referência da bolsa portuguesa, sete encerraram em terreno negativo, 11 encerraram a valorizar e duas fecharam inalteradas (BPI e BCP, nos 1,54 euros e 0,17 euros, respetivamente).

A liderar as perdas da sessão, destaque para os títulos do grupo Jerónimo Martins, que desvalorizaram 2,53% para 12,72 euros, e para a Sonae, que cedeu 1,73% para 1,192 euros, no dia em que o Instituto Nacional de Estatística (INE) publicou que as vendas a retalho não ajustadas em Portugal caíram 2% em dezembro de 2013 face ao ano anterior.

As vendas do retalho alimentar permaneceram inalteradas em termos anuais, enquanto as do retalho não alimentar (excluindo combustível) diminuíram 3,10%.

De acordo com os analistas do BPI online, os bancos e o setor do retalho foram os principais condicionantes do comportamento do PSI20 na sessão de hoje, embora as três maiores instituições bancárias tenham acabado por fechar praticamente inalteradas.

Após o fecho do mercado, o BPI, liderado por Fernando Ulrich, apresentou resultados de 2013, ano em que registou lucros consolidados de 66,8 milhões de euros, menos 73,2% do que em 2012.

A segunda maior queda foi da Galp Energia, que deslizou 1,95% para 11,535 euros.

Pela positiva, destaques para os comportamentos da Portugal Telecom e da EDP, que ajudaram a evitar perdas superiores no PSI20, ao ganharem 0,84% e 0,57% para 3,343 euros e 2,803 euros, respetivamente.

A EDP Renováveis, que apresentou os dados operacionais previsionais relativos a 2013, apreciou 0,73% para 4,25 euros.

Destaque ainda para as ações da ZON, que subiram 2,15% para 5,039 euros, e para a Altri, que ganhou 2,01% para 2,49 euros.

A Sonae Indústria valorizou 1,67% para 0,79 euros, e a Cofina apreciou 1,61% para 0,632 euros. A REN subiu quase 1% para 2,535 euros.

Na Europa, a maioria das praças encerraram em terreno positivo. Madrid (Ibex) subiu 0,69%, Frankfurt (Dax) valorizou 0,39% e Paris (CAC) avançou 0,55%.

Alguns indicadores divulgados esta quinta-feira contribuíram, segundo os analistas, para o desempenho das bolsas na Europa.

O Produto Interno Bruto (PIB) em Espanha cresceu 0,30% no quarto trimestre do ano passado face aos três meses anteriores. Este foi o segundo crescimento trimestral consecutivo, apontando, assim, para o fim oficial da recessão de dois anos no país.

Já na zona euro, foi revelado o índice de confiança económica em janeiro, o qual se situou nos 100.9, face aos 101.0 esperados.