Nos leilões para emissão de dívida, o IGCP colocou 325 milhões de euros de Bilhetes do Tesouro com maturidade a 9 meses e 925 ME com maturidade a 12 meses, o que perfaz 1250 milhões de euros, o máximo do montante indicativo estimado pela Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública.

Relativamente aos BT com a maturidade de 12 meses, os juros foram de 0,597%, contra os 0,602% de março, alcançando o valor mais baixo de sempre em leilão. A procura atingiu 1.455 milhões de euros, 1,57 vezes superior ao montante colocado.

Também na maturidade a 9 meses os BT tiveram uma taxa de juro de 0,487%, contra os 1,714% em outubro, o que também estabelece um novo mínimo em leilão. A procura atingiu 1.325 milhões de euros, ou seja 4,08 vezes superior ao montante colocado.

A ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque admitiu que Portugal faça uma nova emissão de dívida a longo prazo ainda antes de terminar oficialmente o programa de assistência financeira da troika, o que terá de acontecer até 17 de maio.