A Grécia colocou esta terça-feira 1.625 milhões de euros em dívida a três meses a uma taxa de 2,45%, inferior à de 3,10% paga no anterior leilão com a mesma maturidade, foi anunciado.

Neste primeiro leilão desde que a Grécia regressou aos mercados na passada quinta-feira com uma emissão de dívida a cinco anos, a procura foi de 3.416 milhões de euros, 2,73 vezes superior ao montante inicial de 1.250 milhões de euros.

No anterior leilão a três meses, a 18 de março, a procura tinha sido 2,38 vezes superior ao montante indicativo da emissão.

Apesar da descida da taxa de juro ser considerável é necessário ter em conta que os juros têm vindo a registar uma tendência de descida, mesmo antes do regresso aos mercados.

A Grécia pagou taxas de juro médias nos leilões de dívida a três meses de 3,90% em dezembro de 2013, 3,75% em janeiro, 3,60% em fevereiro e 3,10% em março.

Um dos objetivos do lançamento da emissão de títulos a cinco anos na passada quinta-feira - que foi a primeira em quatro anos e que resultou na colocação de 3.000 milhões de euros a uma taxa de 4,75% - foi pressionar a baixa do custo de financiamento a curto prazo, do qual a Grécia ainda é muito dependente.

No mercado secundário, os juros da Grécia a dez anos estavam hoje de manhã a 6,24%.