A evolução do preço do petróleo e das matérias-primas está a dividir os analistas, com o chefe deste departamento no Citigroup a considerar que o preço ainda vai descer, e a Pimco a antecipar uma subida.

"Penso que ainda não batemos no fundo porque ainda estamos a ver uma deflação de custos consistente", disse o chefe do departamento de pesquisa sobre matérias-primas, Ed Morse, numa reunião do Instituto Internacional de Finanças, que decorre em Lima, no Peru.

A opinião de Morse contrasta com a da Pacific Investment Management, uma das maiores gestoras de fundos do mundo, com mais de 1,5 triliões de dólares em ativos, que antecipou na sexta-feira que a quebra nos preços está provavelmente terminada.