As principais bolsas europeias abriram esta quinta-feira em baixa, depois de Wall Street, Nova Iorque, ter terminado em novos máximos na quarta-feira.

O Euro Stoxx 50, índice que representa as principais empresas da zona euro, estava em baixa, a descer 0,42% para 3.189,64 pontos.

As bolsas de Londres, Paris e Frankfurt estavam a descer 0,18%, 0,27% e 0,20%, enquanto as de Madrid e Milão estavam a recuar respetivamente, 0,51% e 0,48%.

Depois de ter iniciado o dia em baixa, a Bolsa de Lisboa mantinha a tendência e, cerca das 09:10, o principal índice, o PSI20, estava a cair 1,17% para 6.225,70 pontos.

Em Nova Iorque, Wall Street terminou em alta na quarta-feira, com o Dow Jones a subir 0,45% para a 17.138,30 pontos, um novo máximo de sempre desde que foi criado há 128 anos.

Ao nível cambial, o euro abriu hoje em baixa ligeira, abaixo dos 1,36 dólares, no mercado de divisas de Frankfurt, a cotar-se a 1,3522 dólares, contra os 1,3527 dólares no encerramento da sessão anterior.

O Banco Central Europeu (BCE) fixou na quarta-feira o câmbio de referência da divisa europeia em 1,3532 dólares.

Hoje, além de um leilão do Tesouro espanhol de 3.000 milhões de euros em dívida, os investidores aguardam que o Banco Central Europeu (BCE) dê mais pormenores sobre os testes de stress aos bancos europeus, que está previsto arrancarem no final de outubro, e sobre a forma de apresentar estes dados para serem publicados.

As bolsas europeias terminaram na quarta-feira em alta e Wall Street fechou com os índices a baterem novos valores recordes, sustentadas pelo crescimento económico na China no segundo trimestre, que foi de 7,5%, melhor que o esperado (7,4%).

Entretanto, o debate na quarta-feira sobre a renovação dos cargos da União Europeia, na qual Espanha aspira a que o ministro da Economia, Luis de Guindos, presida ao Eurogrupo, foi inconclusivo e adiado para o final de agosto.

Entretanto, os investidores continuam com os 'olhos postos' na Gowex em Espanha e no Banco Espírito Santo (BES).

O barril de petróleo Brent, para entrega em setembro, abriu hoje em alta, a cotar-se a 107,18 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, mais 1,25% do que no encerramento da sessão anterior.