Conselho de Administração da ES Saúde considerou «aceitável»

nunciou ter aceitado vender a participação de 51%