A bolsa de Lisboa fechou em alta esta quarta-feira, acompanhando a tendência da maioria das praças europeias. Um pouco por toda a Europa, os investidores deixaram-se animar pela notícia de que a economia da Zona Euro saiu da recessão no segundo trimestre do ano.

Em Lisboa, o PSI20 acabou por fechar no verde, apesar de ter oscilado entre ganhos e perdas ao longo do dia. Subiu0,41% para 6.061,30 pontos.

Para o desfecho positivo contribuiu, e muito, o contributo do BES, que avançou5,19% para 89 cêntimos. No mesmo setor, o BCP também trepou 1,91% para 10,7 cêntimos e o BPI 1,75% para 1,05 euros.

Nota ainda para o ganho de 3,03% da Sonae, para os 88 cêntimos por cada ação. A Jerónimo Martins subiu também 1,67% para 15,56 euros.

Com ganhos mais ligeiros, merecem também nota as empresas de energia: a EDP, que subiu 0,48% para 2,71 euros, e a Galp, que ganhou 0,12% para 12,72 euros.

No vermelho, quem mais travou os ganhos da praça foi a PT, que afundou 7,28% para 2,93 euros, em dia de apresentação de resultados. O lucro da operadora mais que duplicou no primeiro semestre para 284 milhões de euros, e bateu mesmo as estimativas dos analistas. Mas, a pressionar esteve o facto de a empresa ter decidido cortar os dividendos para 2013 e 2014, de 32,5 cêntimos para 10 cêntimos, uma redução de 70%.

Fora do PSI20, o grande destaque da sessão coube à Soares da Costa, no dia em que o empresário António Mosquito chegou a acordo para comprar mais de 60% da sua subsidiária Soares da Costa Construção. As ações chegaram a disparar 28%, mas acabaram o dia em alta de 12% para 28 cêntimos. Hoje foi também dia de a construtora apresentar resultados do primeiro semestre, já depois do fecho do mercado. Os prejuízos ficaram-se pelos 9,2 milhões de euros, o que compara com perdas de 14 milhões no mesmo período do ano passado.