O Governo espera um encaixe «próximo de 578 milhões de euros» com as ações dos CTT que começam a ser negociadas em bolsa na quinta-feira no âmbito da privatização, cujo preço foi fixado em 5,52 euros.

O valor foi hoje avançado pelo secretário de Estado das Finanças, Manuel Rodrigues, que falava numa conferência de imprensa conjunta com o secretário de Estado das Comunicações, Sérgio Monteiro.

Precisamente o secretário de Estado, Sérgio Monteiro, disse que a maioria do capital dos CTT ficou colocada no exterior.

Segundo informação hoje divulgada na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), as ações vendidas na Oferta Pública de Venda (OPV) dos CTT - Correios de Portugal destinada ao público em geral custarão 5,52 euros, valor máximo do intervalo que o Governo tinha determinado.

Um valor de venda que o secretário de Estado Sérgio Monteiro qualificou como «adequado e justo».

O documento divulgado na CMVM, que cita um despacho do secretário de Estado das Finanças publicado hoje, adianta ainda que a quantidade de ações representativas do capital social dos CTT a alienar na Oferta Pública de Venda (OPV) é de 21 milhões de ações e as destinadas a Venda Direta Institucional de 84 milhões, incluindo quase 10 milhões (9.545.454) correspondentes ao Lote Suplementar.

Do total reservado à OPV, um lote de 5,25 milhões de ações será para os trabalhadores dos Correios.