O grupo francês Crédit Agricole reduziu a sua posição no Banco Espírito Santo (BES) para 14,64%, informou hoje o banco liderado por Ricardo Salgado num comunicado enviado ao supervisor do mercado.

Após o recente aumento de capital do BES, o Crédit Agricole, que se mantém como o segundo maior acionista do banco português, passou dos anteriores 20,12% para um patamar próximo dos 15%, de acordo com a informação disponibilizada através da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Na segunda-feira, o Espírito Santo Financial Group (ESFG) já tinha anunciado que passou a deter 25,1% do BES, abaixo dos anteriores 27,36%.

No mesmo dia, o BES comunicou que o fundo norte-americano New World Fund (pertencente ao Capital Reserarch and Management Company) passou a deter, após a operação de reforço de capital, uma participação qualificada de 2%.

Entre os principais acionistas, nota para a redução da posição do banco brasileiro Brades (de 4,8% para 3,91%), e para a manutenção da participação da Portugal Telecom nos 2,1%.

O aumento de capital do BES, de 1.045 milhões de euros, foi totalmente subscrito com a procura a superar a oferta, tendo os resultados sido anunciados a 11 de junho. As novas ações começaram a ser hoje negociadas, num dia em que o BES fechou a sessão bolsista a valorizar 0,73% para 0,972 euros.

O objetivo da operação foi reforçar os rácios de capital do banco, que será um dos bancos portugueses submetido aos exercícios do Banco Central Europeu (BCE).