O magnata mexicano Carlos Slim tornou-se o maior acionista individual do jornal The New York Times ao duplicar a sua participação até quase 17%, com um total de 27,8 milhões de ações, informou o diário norte-americano em comunicado.

Segundo a Lusa, Carlos Slim, considerado a segunda pessoa mais rica do mundo de acordo com a revista Forbes, exerceu a sua opção de compra de 15,9 milhões de ações pelo valor de 6,3572 dólares (5,39601 euros).

O The New York Times continuará, no entanto, a ser controlado pela família Sulzberger, que detém a maioria das ações de classe B, que concedem maiores direitos de voto.

As opções de compra de Slim derivam do empréstimo de 250 milhões de dólares (212 milhões de euros) à taxa de juro de 14 % que fez ao jornal em 2009.

O bilionário tem uma fortuna avaliada em cerca 59.214 milhões de euros, sendo apenas superado por de Bill Gates com 66.118 milhões de euros. Em 2007, o engenheiro civil superou Gates na disputa pelo pódio do homem mais rico do mundo.

O homem mais rico do México controla a America Movil, a maior operadora de telemóves nas Américas. Também possui investimentos no setor bancário (Inbursa) e mineração (Minera Frisco), assim como participações em companhias de capital aberto como a Philip Morris, o New York Times e a Caixabank. Através da holding da sua família, o Grupo Carso, o bilionário mantém interesses na indústria de construção mexicana.