As principais bolsas europeias abriram esta segunda-feira em baixa, ao contrário das praças asiáticas que fecharam em forte alta, sustentadas pela eleição de Tóquio para sede dos Jogos Olímpicos de 2020.

Às 09:00 em Lisboa, o Euro Stoxx 50, índice que representa as principais empresas da zona euro, estava a descer 0,42%, para 2.791,59 pontos.

O principal índice da Bolsa de Londres estava a descer 0,25% e os das bolsas de Paris e de Frankfurt estavam a registar perdas de 0,30% e 0,22%, respetivamente.

À mesma hora, o principal índice da bolsa de Madrid estava a descer 0,88% e o de Milão registava uma perda de 0,01%.

As bolsas asiáticas fecharam com subidas generalizadas sustentadas pela euforia da bolsa nipónica, que terminou a sessão de hoje a subir 2,06%.

Esta semana, os investidores vão estar pendentes do Parlamento Europeu que vai debater questões como as sanções impostas ao uso de informação privilegiada, a criação de um novo supervisor bancario ou a regulação dos mercados hipotecarios da União Europeia.

No mercado da dívida, o Tesouro italiano vai tentar colocar hoje até 11.500 milhões de euros em títulos a três e 12 meses e a Alemanha até 5.000 milhões de euros em títulos a 10 anos.

No entanto, o conflito da Siria pode converter-se no grande catalizador do mercado, caso o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, consiga convencer o Congresos da necessidade de um plano para castigar militarmente o regime de Bachar al Assad.

A bolsa de Lisboa estava em baixa, com o índice PSI20 a descer 0,29% para 5.961,00 pontos. Das 20 cotações do PSI20, 13 estavam a descer, três a subir e quatro estáveis.

Ao nível do mercado cambial, o euro abriu hoje em alta, acima dos 1,31 dólares, no mercado de divisas de Frankfurt, a cotar-se a 1,3172 dólares.

O barril de petróleo Brent para entrega em outubro abriu em baixa, a cotar-se a 115,84 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, menos 0,28 dólares que no encerramento da sessão anterior.