As principais bolsas europeias abriram hoje em baixa, a seguir a tendência registada na segunda-feira em Wall Street, Nova Iorque, e já hoje nas bolsas asiáticas.

Cerca das 08:45 em Lisboa, o Euro Stoxx 50, índice que representa as principais empresas da zona euro, estava a descer 0,65%, para 2.944,61 pontos.

As bolsas de Londres, Paris e Frankfurt estavam a descer 0,75%, 0,42% e 1,03%, respetivamente.

As bolsas de Milão e Madrid também estavam em baixa, com os principais índices a perderem 0,15% e 0,58%.

Depois de ter iniciado o dia em baixa, a Bolsa de Lisboa mantinha a tendência e, cerca das 08:45, o índice PSI20 estava a descer 0,24%, para os 6.587,05 pontos.

O PSI20 atingiu o máximo de 7.142,73 pontos a 13 de janeiro.

Em Nova Iorque, Wall Street terminou em baixa na segunda-feira, com o Dow Jones a descer 2,08%, para 15.372,80 pontos, depois de ter subido a 31 de dezembro até aos 16.576.70 pontos, o valor máximo desde que foi criado, há 128 anos.

Ao nível cambial, o euro abriu hoje em alta no mercado de divisas de Frankfurt, a cotar-se a 1,3530 dólares, depois de ter terminado a 1,3515 dólares na segunda-feira.

O Banco Central Europeu (BCE) fixou na sexta-feira o câmbio de referência da divisa europeia em 1,3498 dólares.

Nas referências de hoje destacam-se a divulgação dos dados do desemprego em Espanha e dos pedidos de encomendas às fábricas nos Estados Unidos em dezembro.

Em Espanha, o número de desempregados registados nos Serviços Públicos de emprego aumentou em janeiro em 113.097 pessoas, traduzindo o menos acréscimo num mês de janeiro desde 2007.

Os analistas preveem uma descida de 1,8% das encomendas às fábricas nos Estados Unidos em dezembro.

Esta semana, os investidores também vão estar atentos à reunião mensal do Banco Central Europeu (BCE) para debater política monetária na quinta-feira.

A anunciada nova retirada de estímulos à economia pela Reserva Federal norte-americana (Fed) e evolução das divisas dos países emergentes também vão continuar em destaque na agenda económica desta semana.

Nos Estados Unidos, o departamento de Comércio norte-americano divulgou na quinta-feira o primeiro dos três cálculos do Produto Interno Bruto (PIB) no último trimestre de 2013, que foi de 3,2%, acima das previsões dos analistas, que apontavam para um acréscimo de apenas 3%.

O PIB dos Estados Unidos aumentou 1,9% em 2013, segundo esta primeira estimativa.

O barril de petróleo Brent para entrega em março abriu em baixa, a cotar-se a 105,84 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, menos 0,20 dólares do que no encerramento da sessão anterior.