As bolsas europeias abriram a semana em alta, aliviadas com a notícia de que Larry Summers se retirou da corrida à Reserva Federal norte-americana.

Summers era um dos três nomes citados por Barack Obama, que poderiam vir a liderar a Fed, mas era aquele que menos agradava aos investidores, já que a sua vitória implicaria provavelmente uma política monetária mais restritiva, ou seja, uma retirada mais rápida dos estímulos à economia. Isto numa semana em que se espera que a Fed anuncie um corte no programa de compra de ativos.

Madrid lidera os ganhos entre as praças europeias, avançando 0,92%, com Lisboa no canto oposto, a registar a subida mais modesta: apenas 0,22%, para 6.072,97 pontos.

Os pesos pesados contribuem para o comportamento positivo, embora os ganhos não sejam muito acentuados, a começar pela Jerónimo Martins, que trepa 0,5% para 15,98 euros. No mesmo setor do retalho, a Sonae também sobe 0,43% para 93 cêntimos.

Nas comunicações, a PT avança 0,37% para 3,22 euros e, na banca, o BES é o único dos três grandes a cotar no verde, em alta de 0,35% para 86 cêntimos, numa altura em que BPI e BCP seguem estáveis. Destaque merece ainda o Banif, que sobe 10% para 1,1 cêntimos, no dia em que os seus acionistas se reúnem em Assembleia Geral para decidir um novo aumento de capital. A operação de troca de obrigações por ações tem um montante máximo de 198,9 milhões de euros.

Por fim nota ainda para a EDP, que ganha 0,11% para 2,71 euros.