As bolsas europeias amanheceram divididas entre ganhos e quedas ligeiras, num dia em que fatores contraditórios pesam nas decisões dos investidores.

Por um lado, o Banco Central Europeu disse ontem, como esperavam os mercados, que está disposto a usar todos os instrumentos à sua disposição para ajudar a Zona Euro a ultrapassar a crise, falando mesmo na possibilidade de realizar nova injeção de liquidez a longo prazo na banca.

Por outro lado, os investidores continuam preocupados com a situação dos EUA, onde ainda não existe acordo orçamental. Ontem terminou sem consenso mais uma reunião, convocada pelo Presidente Barcak Obama, entre democratas e republicanos. Muitos serviços públicos continuam encerrados e 800 mil funcionários públicos parados e sem receberem o respetivo vencimento.

A bolsa de Lisboa avança 0,21% para 6.051,44 pontos, com a banca a impulsionar. O BES sobe 1,07% para 0,85 euros, depois de já ontem ter beneficiado do acordo de fusão entre a PT, de quem é o principal acionista, e a Oi. O BPI também avança 0,74% para 96 cêntimos, numa altura em que BCP e Banif seguem estáveis nos 9,6 e 1,1 cêntimos, respetivamente.

No verde estão ainda dois outros pesos pesados da praça nacional, ainda que com ganhos mais ligeiros: a EDP, a subir 0,37% para 2,71 euros, e a Jerónimo Martins, em alta de 0,32% para 14,35 euros.

A PT, que ontem chegou a disparar 22%, mas que acabou com um ganho de 6,5%, está volátil esta manhã. Chegou já a ganhar quase 2% mas agora cai 0,19% para 3,61 euros.