O índice de referência nacional sobe 0,5%, apoiado nas valorizações da EDP e Sonae, cujos resultados trimestrais superaram as previsões dos analistas, enquanto na Europa os investidores aplaudem a vitória do partido conservador nas legislativas do Reino Unido.

"Os mercados estão a reagir muito favoravelmente ao desfecho das eleições no Reino Unido e a alguma descompressão no mercado de dívida", afirmou Gualter Pacheco, trader da GoBulling, no Porto, citado pela Reuters.

Adiantou que "por cá, os resultados da Sonae e EDP agradaram aos investidores e os títulos são dos que mais sobem, aliados ao Banif".


As ações da Sonae valorizam 3,6%, após a maior retalhista portuguesa ter anunciado que duplicou o lucro para 20 milhões de euros (ME) e superou as expectativas no primeiro trimestre de 2015, apoiada por ganhos da participação na telecom NOS e com as vendas de retalho a subirem em todos os segmentos.

As vendas da dona das marcas Continente, Worten, Zippy e Sportzone, cresceram 1,7% para 1.146 ME.

Também a EDD, que apresentou ontem as suas contas trimestrais, segue a ganhar 2,65%.

O lucro líquido subiu uns ligeiros 0,3% nos três meses de 2015, contrariando as expectativas de queda, apesar da performance operacional ter sido prejudicada pelo agravamento da seca no Brasil e menores recursos hídricos e eólicos na Ibéria.

Suporte adicional da Semapa e Portucel, subidas em torno de dois%, e da banca, estando o Banif a subir 2,99% e o Millennium bcp a ganhar 0,5%.

"A subida do Banif parece-me estar relacionada com notícias que surgiram na Imprensa de que o banco estará em negociações avançadas com investidores interessados em comprar a participação do Estado", acrescentou aquele trader à Reuters.


Em sentido contrário apenas dois títulos: o BPI a cair 0,07% e a Teixeira Duarte a recuar 1,35%.

Após o fecho de Bolsa é a vez da Altri apresentar resultados. O título segue a ganhar 1,63% para 3,87 euros.