A bolsa de Lisboa está em recuperação, embora pouco acentuada, depois da queda de 2% na sessão passada, em que perdeu 860 milhões de euros. O PSI20 avança 0,48% para 5.449,10 pontos.

A liderar a retoma está a banca, o setor que tem sido mais pressionado pela instabilidade política e consequente escalada dos juros da dívida pública. O BCP sobe 2,33% para 8,8 cêntimos, mesmo depois de a S&P ter cortado o rating da dívida do banco num degrau, mantendo-o sob perspetiva negativa.

No caso do BPI e do BES, a S&P já tinha os bancos com outlook negativo, e assim os mantém. O BPI ganha 2,1% para 88 cêntimos e o BES 1,68% para 61 cêntimos.

O Banif, que tem estado em destaque pelas fortes quedas relacionadas com o aumento de capital em curso, onde estão a ser vendidas novas ações a um cêntimo cada, segue esta manhã estável nos 5,2 cêntimos.

Noutros setores, nota para as subidas da Sonae, Galp e PT. A dona dos hipermercados Continente sobe 1,14% para 71 cêntimos, a petrolífera avança 0,65% para 11,58 euros e a operadora trepa 0,54% para 2,81 euros.

O único peso pesado no vermelho é a EDP, que cai 0,32% para 2,46 euros.

No mercado da dívida pública, os juros seguem em alta ligeira, mas no prazo a dez anos, chegaram já esta manhã a ultrapassar os 7%.