A bolsa de Atenas está a negociar em queda, desvalorizando-se 10,54%, no dia que os deputados elegem, pela terceira vez, o presidente do país, o que mostra que os investidores receiam que um novo falhanço.

Pelas 10:15 de Lisboa, o principal índice da bolsa grega perdia 10,54% para os 763,24 pontos, acentuando as quedas da abertura da sessão, nota a Lusa.

«Há algum receio» de que a Grécia, com o impasse em relação à eleição presidencial venha «a ter novas eleições» o que poderia levar a uma «situação de instabilidade» política, sublinharam os analistas citados pela agência de informação financeira Bloomberg.

Os deputados gregos voltam a ser hoje convocados pela terceira vez para a eleição do presidente da Grécia, um escrutínio determinante que em caso de novo falhanço implicará a convocação de legislativas antecipadas.

Na terça-feira, os deputados voltaram a não conseguir eleger o chefe de Estado, num escrutínio seguido com particular atenção na sede da União Europeia (UE) em Bruxelas e nas principais capitais europeias. No caso de dissolução do hemiciclo e de legislativas antecipadas, que devem decorrer em 25 de janeiro ou 01 de fevereiro, o partido de esquerda anti-austeridade e anti-troika Syriza poderá chegar ao poder.

No total, 168 dos 300 deputados votaram na terça-feira por Stavros Dimas, o ex-comissário europeu proposto pelo partido conservador do primeiro-ministro Antonis Samaras, que o Governo de coligação entre a direita e o Partido Socialista Pan-Helénico (PASOK) apresentou como candidato ao posto honorífico de chefe de Estado.