O índice acionista PSI20 sobe 1%, com apoio das retalhistas e da Galp, e regista um dos maiores ganhos numa Europa positiva, na primeira sessão após os partidos de esquerda terem derrubado o Governo de centro-direita e assinado acordos para viabilizar um Executivo socialista.

A Bolsa de Lisboa, que caiu mais de 4% na segunda-feira e 0,33% ontem, regressa aos ganhos numa altura em que o Executivo entra em gestão corrente e o Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, terá de pronunciar-se sobre se empossa um Governo socialista com o apoio da esquerda ou se mantém o atual Executivo sob gestão.

Cavaco Silva recebe hoje Eduardo Ferro Rodrigues, Presidente da Assembleia da República, às 15:45 horas, e o Primeiro-Ministro, Pedro Passos Coelho, às 16:30 horas.

De acordo com a Reuters, no mercado de dívida, a taxa das obrigações soberanas portuguesas a 10 anos está a descer ligeiramente para se fixar nos 2,71%, valor mais baixo do que no fecho de ontem.

No PSI20, destaque para o sector do retalho, com a Jerónimo Martins a avançar 1,44% e a Sonae 1,45%.
Suporte adicional da Galp, que ganha 1,23%.

Em termos percentuais, a Teixeira Duarte lidera com um disparo de 5,06%, enquanto a Impresa sobe 3,28%.

Na banca, o Millennium bcp valoriza 1,28% e recupera da queda da sessão anterior, o BPI avança 2,21% e o Banif segue estável nos 0,002 euros.

A EDP é o único título no 'vermelho', com uma queda de 1,11%.

O índice FTSEurofirst300, que integra as 300 maiores cotadas da Europa, sobe 0,6%, com Frankfurt a liderar os ganhos com uma valorização de 1,09%.

As praças estão suportadas por alguns resultados positivos, como os da retalhista holandesa Ahold, cujas ações disparam quase 5%.

O preço do barril de Brent perde 0,42% para 47,24 dólares, enquanto no mercado cambial, o euro aprecia-se 0,1% para 1,0733 dólares.