O índice acionista de referência sobe 2% e lidera as valorizações europeias, suportado no disparo de 9% da Galp Energia animada com a compra do BG Group pela Royal Dutch Shell, naquela que é a primeira super fusão da década na área da energia.

De acordo com a Reuters, o FTSEurofirst300, índice constituído pelas 300 maiores cotadas europeias, sobe 0,19%, num dia de ganhos fortes no sector petrolífero.

A Royal Dutch Shell empresa acordou a compra do BG Group por 47 mil milhões de libras, em cash e ações. As ações da BG Group disparam 40% e o índice sectorial DJ Stoxx avança 5,2%.

As bolsas europeias já ontem foram alimentadas por notícias de fusões e aquisições no sector postal e de media, depois do bid da Fedex para comprar a holandesa TNT Express, e a oferta da francesa Vivendi pela Daily Motion, uma unidade de partilha de vídeos online da Orange.

A contrariar este cenário está a bolsa de Atenas, a cair 1,1%, no dia em que o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, faz uma visita oficial à Rússia.

No mercado secundário de dívida soberana, as yields das Obrigações do Tesouro gregas a 10 anos sobem quatro pontos base para 11,79%, ao passo que as portuguesas aliviam 2 pontos para 1,62%.

O euro aprecia-se 0,5% face à moeda norte-americana para os 1,0868 dólares.

No mercado petrolífero, o preço do barril de Brent cai 1,4% para os 58,27 dólares.

Lembra a Reuters que, na passada segunda-feira, o Brent disparou cerca de 6%, com os operadores a reverem quanto tempo deverá demorar o crude iraniano a chegar ao mercado, pois o acordo preliminar negociado na semana passada sobre o programa nuclear desse país impõe várias condições até que as sanções sejam suavizadas.