As melhores empresas para trabalhar têm um desempenho financeiro superior ao das restantes, sobretudo em períodos de crise, conclui um estudo de dois investigadores da Universidade do Minho.

A investigação de Ana Carvalho e Nelson Areal, da Escola de Economia e Gestão daquela academia foi distinguida, com 2000 euros, no II Prémio Santander de Investigação sobre Responsabilidade Social Corporativa (RSC), em Madrid, Espanha, e analisou as 100 melhores empresas para trabalhar nos Estados Unidos da América, listadas pelo instituto Great Place to Work.

Provou que as melhores empresas para trabalhar são mais resilientes em períodos conturbados, pois a sua performance financeira e o seu risco face às oscilações do mercado não são afetados. [Por outro lado], mostrou-se que as companhias do topo continuaram com desempenhos superiores à média do mercado perante a crise internacional, enquanto as menos cotadas do ranking mantiveram o desempenho”.

A dupla de investigadores da UMinho evidenciou ainda que só as empresas da primeira metade da tabela tiveram ganhos financeiros abundantes na época de crise, “contrariando-se assim o otimismo geral de estudos anteriores”, cita a Lusa.

“Há uma relação entre um bom local para trabalhar com a sua capacidade de resistir e recuperar de adversidades”, refere Ana Carvalho.

Este estudo durou três anos e teve apoio da Fundação para a Ciência e Tecnologia, tendo já sido publicado na revista “Human Resource Management”.

As melhores multinacionais para trabalhar em 2015 foram, por esta ordem, a Google, SAS Institute, W.L. Gore, NetApp, Telefónica, EMC, Microsoft, BBVA, Monsanto e American Express.

O horário flexível, a possibilidade de trabalho remoto ou no estrangeiro, o reconhecimento e o ambiente acolhedor são alguns aspetos elogiados pelos trabalhadores.

O Prémio Santander de Investigação sobre RSC é uma iniciativa do Banco Santander e da Rede de Cátedras RSC para promover a geração e a transferência do conhecimento entre investigadores na área da responsabilidade social empresarial.