O Sindicato dos Jornalistas está preocupado com a situação do Diário Económico e diz estar “disponível para contribuir” para uma solução que “melhor salvaguarde os direitos e interesses dos trabalhadores”.

“O Sindicato dos Jornalistas manifesta preocupação com a situação da empresa e está disponível para contribuir para a resolução que melhor salvaguarde os direitos e interesses dos trabalhadores, reiterando a disponibilidade dos seus serviços jurídicos para qualquer esclarecimento ou apoio”, lê-se num comunicado divulgado esta quarta-feira.

Na terça-feira, a administração do Diário Económico admitiu um cenário de insolvência da empresa num plano de continuidade do jornal, prometendo até quinta-feira dar a conhecer aos trabalhadores as consequência deste cenário e do Processo Especial de Revitalização (PER).

A administração transmitiu ainda que mantém a intenção de pagar os ordenados de dezembro - uma parte dos 140 trabalhadores recebeu a totalidade e outra só parte do salário de dezembro - até 29 de fevereiro, data em que apresentará o plano de pagamentos dos salários de janeiro.

No mesmo dia, os trabalhadores do jornal apelaram aos portugueses para apoiarem o projeto e decidiram assumir a sua continuidade, acreditando ter condições para prosperar e contribuir para o pluralismo da sociedade portuguesa.

O Sindicato dos Jornalistas diz que tem acompanhado a situação dos jornalistas do Diário Económico, jornal e site e da Económico TV, tendo reunido com a redação em dezembro e tendo estado presente no plenário de trabalhadores realizado na terça-feira.

“O SJ gostaria de realçar o esforço e a entrega dos jornalistas, a trabalhar em condições manifestamente adversas, que tem sido decisivo para a continuidade destes órgãos de comunicação”, afirma, manifestando “solidariedade com os jornalistas em causa e continuará atento ao evoluir dos acontecimentos”.