O diretor do Diário Económico, Raul Vaz, disse à Lusa estar "empenhado e envolvido" em encontrar uma solução para o jornal, depois da Autoridade Tributária ter penhorado parte ds receitas da S.T. & S.F.

O Expresso avançou hoje que o fisco tinha penhorado as receitas da S.T. & S.F. - Sociedade de Públicações, empresa que detém o Diário Económico e a Económico TV (ETV).

"Parte das receitas foram penhoradas", disse o diretor do título, salientando que esta situação "cria uma dificuldade acrescida à que já existe".

Apesar da situação "difícil e dramática", Raul Vaz sublinhou estar "empenhado e envolvido" no processo de solução.

A aplicação da penhora levou a que "uma parte" dos trabalhadores não tenha recebido uma tranche de 500 euros do salário relativo a novembro, cuja data de pagamento era até terça-feira, disseram à Lusa vários trabalhadores.

O banco Haitong (ex-BESI) está mandatado para vender o jornal e, segundo Raul Vaz, "há uma proposta", decorrendo um processo de negociações, mas escusou-se a avançar com mais informação.

O empresário angolano Domingos Vunge estará interessado em comprar o jornal.

De acordo com o Expresso, a dona do jornal e do ETV terá um défice mensal de tesouraria na ordem dos 200 mil euros.

Segundo as últimas contas disponíveis da S.T.& S.F., a empresa tinha um passivo de 25,9 milhões de euros em 2013, ano em que registou prejuízos de quatro milhões de euros.