A Volkswagen pediu desculpa “sincera e honestamente” por ter quebrado a confiança dos norte-americanos, naquela que é a primeira visita aos Estados Unidos do presidente Matthias Müller, após o escândalo das emissões.

Matthias Müller, que vai reunir-se com a Agência de Proteção Ambiental, traz a crença de que um novo sistema catalisador poderá vir a ser aplicado nos veículos norte-americanos que foram afetados pelo problema, uma solução que agradará aos reguladores.

Mas esta reunião pode ficar ensombrada pelas declarações do presidente executivo do grupo, que em declarações à National Public Radio sugeriu que o escândalo das emissões não passou de um mal-entendido e classificou-o de problema técnico e não ético.

Na sequência das declarações de Müller, a sede emitiu um comunicado, sublinhando a má escolha de palavras em inglês, que não é a língua nativa do CEO do grupo.

"É importante para ele clarificar: as desculpas da Volkswagen por ter quebrado a confiança do povo americano são sentidas sincera e honestamente".