O ministro das Finanças garante que não mentiu no caso Banif. Em entrevista à TVI e confrontado com as acusações da oposição, Mário Centeno diz que não influenciou a escolha do Santander como comprador junto das instituições europeias.

“Eu não abri caminho para nenhum banco. Aquilo que eu fiz em todos os contactos que tive com Frankfurt e Bruxelas foi no sentido de remover obstáculos à concretização de um negócio”, disse o ministro em Washington.

Centeno assegura que o governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, é para manter para já, apesar das falhas de informação.

“Essa questão nem se põe porque o Sr. Governador tem um mandato. Como eu disse na comissão parlamentar de inquérito, vamos esperar que ela consiga identificar todas as falhas graves na condução política e na condução da supervisão do caso Banif”, acrescentou.

Recorde-se que o Bloco de Esquerda fez um pedido de destituição de Carlos Costa. No centro da polémica está a omissão do governador, que não terá informado o Governo de ter proposto limitar o acesso do Banif aos fundos do Eurosistema.

As novas audições a Carlos Costa e Mário Centeno foram marcadas esta sexta-feira para novos horários. A de Carlos Costa está agora marcada para 19 de abril, às 09:30. A de Mário Centeno é também 19 abril, mas às 11.30.

O ministro das Finanças encontra-se em Washington durante três dias para as reuniões de Primavera do Fundo Monetário Internacional e desvaloriza a revisão em baixa do crescimento por parte desta instituição.