O PS apresentou esta sexta-feira um requerimento na comissão de inquérito ao Banif com vista à audição de dois gestores da sociedade Whitestar, comprada pela Arrow Global, empresa que contratou a antiga ministra das finanças Maria Luís Albuquerque.

No texto, a que a agência Lusa teve acesso, e entregue ao presidente da comissão parlamentar de inquérito, o PS começa por lembrar que em 2014 a Whitestar comprou ao Banif "cerca de 300 milhões de euros de crédito malparado", sendo que essa mesma empresa "foi contratada para avaliar a carteira de crédito em risco e imóveis da Oitante", sociedade veículo que ficou com ativos do Banif que o Santander não adquiriu.

Em 2015, prosseguem os socialistas, a Arrow Global comprou a portuguesa Whitestar, e na quinta-feira a antiga ministra das Finanças do executivo PSD/CDS-PP Maria Luís Albuquerque confirmou a sua contratação pelo grupo britânico de gestão de crédito.

Em comunicado realizado nesse mesmo dia [quinta-feira], o próprio CEO da Arrow Global Group PLC salienta a importância do percurso político de Maria Luís Albuquerque para a referida contratação. Face ao exposto, e em bom abono da verdade, o Grupo Parlamentar do PS pretende aferir qual a influência da sociedade Whitestar Asset Solutions no âmbito do processo Banif e quais os contactos que foram estabelecidos nesse âmbito", diz o texto do PS, partido coordenado pelo deputado João Galamba na comissão de inquérito.

John Calvão e João Ferreira Marques, "na qualidade de gestores da sociedade Whitestar Asset Solutions", são os novos nomes que o PS quer ouvir na comissão de inquérito.

Maria Luís Albuquerque foi nomeada para diretora não executiva do Arrow Global, grupo britânico de gestão de crédito que em Portugal detém uma carteira de crédito de 5,5 mil milhões de euros, tendo entre os clientes os bancos Banif, Millennium BCP, Montepio, Santander, Banco Popular, entre outros.

A deputada do PSD e ex-ministra das Finanças Maria Luís Albuquerque já pediu entretanto à subcomissão de ética que avalie se existe alguma incompatibilidade entre a sua contratação pela Arrow Global com os atuais e antigos cargos políticos.

Solicito à subcomissão de ética a avaliação da situação em causa, manifestando desde já a minha total disponibilidade e interesse em prestar junto dessa Subcomissão todos os esclarecimentos entendidos como pertinentes", lê-se na carta de Maria Luís Albuquerque enviada hoje ao presidente da subcomissão de Ética, Luís Marques Guedes, a que a agência Lusa teve acesso.